FANDOM

1,928,240 Pages

StarIconBronze
LangIcon
​És Como Um Don

This song is by Mind Da Gap and appears on the album Sem Cerimónias (1997).

És como um Don
Cresceste para ser um mafioso
Aprendeste a viver e tornaste-te perigoso
Com pequenos roubos e assaltos à mão armada
Instruiste, criaste uma organização alargada
Fazes tráfico de mulheres e estupefacientes
A algebra dita os teus cálculos insuficientes
Queres mais, sempre mais manténs o teu poder
Tens rusgas à porta, mas ninguém se vem meter

Caos nas ruas, o dinheiro está sempre a entrar
Enquanto houver poeira, mulheres pa por a rolar
Compras bófias na alfandega pa tudo correr bem
Visa, Mastercard, cheques como tu não há ninguém

Don Perrignon na carpete enquanto fazia o frete
Negócios ilicitos daqui até ao Tibete
Deviam ser sócios seus a tratar disto
Mas era a sua vez, ele tinha que correr o risco
Por vezes havia transacções que davam pó torto
Afinal de contas era só mais um corpo morto
Do Porto ao Sri Lanka queimava gajos comó Blanca
Ele tinha conhecimentos até na Casa Branca
Era mortal, misterioso como o Santo Graal
Inimigos seus estavam a um passo do funeral
Para beber a melhor colheita do melhor vinho
Ele sabia de cor todas as frases d'O Padrinho

És como um Don
Cresceste para ser um mafioso
Aprendeste a viver e tornaste-te perigoso
Com pequenos roubos e assaltos à mão armada
Instruiste, criaste uma organização alargada
Fazes tráfico de mulheres e estupefacientes
A álgebra dita os teus cálculos insuficientes
Queres mais, sempre mais manténs o teu poder
Tens rusgas à porta, mas ninguém se vem meter

A tua lista de contactos envolve meio mundo
Colombia, Brasil, Holanda, o pessoal do submundo
Já não és nenhum chulo, já passaste dessa fase
Constróis império com o 3º mundo como a tua base
Vais a julgamento perder tempo, está tudo comprado
Com dinheiro e ameaças, sais de lá ilibado
Tudo secreto, como a Nova Ordem Mundial
Nascido e criado na Sé, tomaste pra ti Portugal
São fachadas as figuras do ministro e presidente
Toda a gente sabe e sente, que é diferente

De repente evoluiu, a certa altura sentiu
Que todos os traficantes aspiram o que ele conseguiu
Nunca fugiu seu truque era mostrar firmeza
Assim ganhava o seu respeito com certeza
Uma volta via logo um Tó qualquer
A chutar pó vício difícil para alguém se desprender
O crime é a fonte de todo o seu poder
Agarrados fervem o produto numa colher
Cenário deprimente, até quem diga repelente
Estando no lugar dele não serias diferente
Vários bens materiais até jactos presidenciais
Em Veneza podia encher de dinheiro todos os canais

És como um Don
Cresceste para ser um mafioso
Aprendeste a viver e tornaste-te perigoso
Com pequenos roubos e assaltos à mão armada
Instruiste, criaste uma organização alargada
Fazes tráfico de mulheres e estupefacientes
A algebra dita os teus cálculos insuficientes

Queres mais, sempre mais mais mais
Vives impune à sombra da nossa lei e justiça
Tens filhos a estudar nos melhores colégios da Suiça
Grandes carros, casas, roupa, tudo do bom e do melhor
Até já podes dar nas vistas, tá tudo sobre controlo
Tens planos para uma multinacional respeitada
Investir em negócios limpos, pelo menos de fachada
Para branquear dinheiro vais criar uma religião
Com sorte ganhas mais um ou outro milhão

És como um Don
Cresceste para ser um mafioso
Aprendeste a viver e tornaste-te perigoso
Com pequenos roubos e assaltos à mão armada
Instruiste, criaste uma organização alargada
Fazes tráfico de mulheres e estupefacientes
A algebra dita os teus cálculos insuficientes
Queres mais, sempre mais manténs o teu poder
Tens rusgas à porta, mas ninguém se vem meter
Porque ninguém se quer foder