Fandom

LyricWiki

Fidbek:Onde Andas? Lyrics

1,870,154pages on
this wiki
Add New Page
Talk2 Share

Ad blocker interference detected!


Wikia is a free-to-use site that makes money from advertising. We have a modified experience for viewers using ad blockers

Wikia is not accessible if you’ve made further modifications. Remove the custom ad blocker rule(s) and the page will load as expected.

StarIconBronze
LangIcon
Onde Andas?

This song is by Fidbek and appears on the album Erro Musical (2003).

Ainda te procuro, por ti salto muros
Enfrento ponta e molas no escuro
Desde que me levanto com o dia já a meio
De boxers pra banheira
Fecho os olhos, toco uma no chuveiro
É por ti que gasto dinheiro
E bebo muito
A casa ganha pó e agora como é que eu cozinho?
Senti-me importante na realidade, eu um inútil
Agora reconheço o teu sorriso quando dizia algo fútil
Curtia-te e curto-te tútil
Onde é que tu andas?

Eu fodo meio mundo se te cheiro noutras camas
O egoísmo asfixia, perdoa este filho-da-puta
Player de merda, culpado de traição
Toco na mão, falo sozinho p'ro cão
Vida sexual são duas horas de televisão
Renda de um milhão e cérebro anão
Arrependido por ter insultado a família e deixar a origem
Arrependido por ter sido o primeiro e único a chamar-te virgem
E os copos ainda me restringem o comportamento
Parvo aínda assim eu não acabe
E agora sinto o frio e o vento como um homem calvo . . .

Onde andas? Eu ainda te procuro
Co'a polícia cego sem visão do futuro
A vida deu-me um murro agora ando sozinho
Perdido em merdas putas vinho

Cativaste-me à primeira um olhar com a letra inteira
O termo solitário, envergonhado pelo despertar
Agora o que é que eu faço, não te vejo não consigo
É por ti que infesto esse ...
Imaginar-te é dicotómico
Odiar-te é irónico
Um gajo sem idéias comovido sem matrimónio
A minha vida é tudo o que tenho, mas a minha vida eras tu
És como a rima sem rimar, és única, és só tu
Passar os dias sem par
É indiferente não quero andar
Sentado nesta cadeira escrevo merda p'ra continuar
Eu já não penso, 'tou em branco porque só tenho uma idéia
Onde é que tu andas?

Eu por ti queimo esta cidade e a aldeia
Todo o pó de meia
Ponho uma bomba na assembleia
Cuspo p'ra platéia
Vês a idéia?
Sentir-me morto, mas ter que nadar nesta água
Tudo é pouco p'ra se sumir a umas simples palavra
E aquele aperto sufoca-me quando olho p'ro lado na cama
Quando uma gota se gasta e cai em pânico
Sentimento plástico é o que eu tenho por outras gajas
É tudo um holograma
Porque sou o único que te ama

Onde andas? Eu ainda te procuro
Co'a polícia cego sem visão do futuro
A vida deu-me um murro agora ando sozinho
Perdido em merdas putas vinho

Mãe tira-me deste filme, tenho saudades tuas
Hipócrita à noite, ainda sonho com gajas nuas
Podres de boas, dentes como vampiros
Que me sugam a alma com propostas
De álcool e penetrações profundas
A culpa não é das bundas, a culpa é minha
Por querer controlar o mundo
Esqueci-me da minha casa, esqueci-me da minha
Agora controlo sozinho a sala e a cozinha
Reparto-me sem ti, a cama está mais vazia
Mas quem me arruma a cama ainda á a vizinha
E ela desarruma
Perdida na bruma
E ainda é por ti que eu sozinho toco uma
E tu és como nenhuma
A rainha desta espuma
Embaraço-te com piadas sobre algo inocente
Tu és o universo, eu quero ser o teu continente
Um país, uma localidade que escreve o teu código postal
Eu mudava por ti, eu convertia-me ao comercial
Se isto é fictício, não sei se preciso saber
Exactamente se o que digo é mesmo
Por isso fujo para abstrair e acabo por ti preso

Onde andas? Eu ainda te procuro
Co'a polícia cego sem visão do futuro
A vida deu-me um murro agora ando sozinho
Perdido em merdas putas vinho

Also on Fandom

Random Wiki