FANDOM

1,941,401 Pages

StarIconBronze
LangIcon
Ritual

This song is by Cazuza and appears on the album Só Se For a Dois (1987) and on the live album O Poeta Está Vivo - Ao Vivo no Teatro Ipanema, 1987 (2005).

Pra que sonhar
A vida é tão desconhecida e mágica
Que dorme às vezes do teu lado
Calada
Calada

Pra que buscar o paraíso
Se até o poeta fecha o livro
Sente o perfume de uma flor no lixo
E fuxica
Fuxica

Tantas histórias de um grande amor perdido
Terras perdidas, precipícios
Faz sacrifícios, imola mil virgens
Uma por uma, milhares de dias

Ao mesmo Deus que ensina a prazo
Ao mais esperto e ao mais otário
Que o amor na prática é sempre ao contrário
Que o amor na prática é sempre ao contrário

Ah, pra que chorar
A vida é bela e cruel, despida
Tão desprevenida e exata
Que um dia acaba

</lyrics>

Written by:

Cazuza & Discogs1 Rogério Meanda

External links